Blog

Graus na Faixa: Entenda a sua importância

Nos últimos 10 anos, o mundo do jiu-jitsu passou por importantes mudanças. Nesse mesmo período, o nosso fundador e mestre, Carlos Gracie Jr, enxergou mais além: Por que não levar o Jiu-Jitsu para todas as pessoas em nossas comunidades? A realização da visão do mestre é também a resposta a essa pergunta: o JITSU PARA TODOS! Hoje, com mais de 700 unidades espalhadas pelos 4 cantos do mundo, atingimos diferentes tipos de pessoas que naturalmente, ao se comprometerem com a caminhada na arte suave, passarão por “muitos graus” até chegarem a Faixa Preta (verdadeiro início da trajetória). Mas, por que recebe-se graus na faixa?

Nos primórdios tempos do jiu-jitsu encontrar a ponteira com graus era raridade. A fama e o grande crescimento do esporte fizeram com que a CBJJ (Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu) criasse regras para a graduação de adultos e crianças. Essa importante mudança veio para organizar e criar um tempo hábil para cada graduação. Desta forma, as pessoas podem se desenvolver e se manterem estimuladas a continuar aprendendo.

Embora as regras pré estabeleçam o tempo para cada faixa e seus respectivos graus, elas não isentam o professor de avaliar o aluno para cada promoção. Avaliar a parte técnica é indispensável, mas não se pode deixar de levar em conta a conduta do aluno(a) durante as competições, com os parceiros de treino, entre outros pontos que possam refletir diretamente com a evolução dentro dos tatames.

teo-620x620

 

GB Blog: Quedas, por quê treinar?

quedas

A parte de quedas do jiu-jitsu é uma parte fundamental e indispensável para o aprendizado completo do aluno. O ensino das técnicas de queda é de grande importância, mas, atualmente, muitos competidores perderam o foco no treinamento da luta em pé.

Embora os treinamentos no solo sejam a base das aulas, em todos os programas de ensino GB, o Mestre Carlos Gracie Jr inclui o ensino das técnicas de queda quadril, sacrifício, catada de perna entre tantas outras que enriquecem a parte de pé.

Elas são previstos de forma mais clara a partir do currículo GB². Alguns instrutores ainda não compreenderam o motivo de um praticante não aprender a parte de técnicas de projeção ainda nas primeiras semanas do GB¹, mas como sempre, o Mestre Carlos Gracie Jr, desenhou um programa que ensinasse isso ao aluno, sem que o mesmo tivesse que pensar em competição para aprender a derrubar o oponente.

Nos campeonatos, derrubar o oponente vale 2 pontos no placar. Logo, saber executar essas técnicas ajuda – e muito, aqueles que querem garantir a vantagem na pontuação. Não que um lutador da arte suave deva ser, necessariamente, graduado no judô ou vice e versa. Vale dizer que um lutador completo é aquele que sabe se desvencilhar em qualquer situação, seja no chão ou em pé.

35330503725_c172e4878b_z-620x414

Valorize o treino em pé e seja um lutador completo!

 

GB Blog: Um bom professor é só aquele que luta campeonato?

bomprofessorSão diversos os pontos a serem analisados por um futuro praticante de jiu-jitsu ao procurar por um lugar para treinar. É comum que essa pessoa procure – além de uma equipe conhecida – pelo nome dos professores no âmbito desportivo. Porém,  será que todo atleta é necessariamente um bom professor? Todo professor deve ser avaliado pelo número de vezes que apareceu em campeonatos?

Há uma frase que diz que, “Nem todo treinador é um bom atleta e que nem todo atleta é um bom professor”. As medalhas e títulos conquistados no âmbito desportivo, nem sempre garantem uma boa didática na hora de lecionar. É comum – e necessário, que haja uma busca sobre o instrutor com quem seu filho(a) ou você mesmo, vá começar a treinar. Afinal, este tipo de pesquisa ajuda a saber sobre com quem se estará tendo uma convivência diária e o que esperar dela.

No caso das escolas Gracie Barra, todos os professores e instrutores fazem o curso do Programa de Certificação de Instrutores GB. Por meio dessa valiosa ferramenta, todos os nossos instrutores(as) aprendem a como aplicar a metodologia de ensino Gracie Barra, como reduzir situações de risco nas aulas e durante os treinos, tratar pessoas e crianças e, consequentemente, ensinar um jiu-jitsu de excelência.

GB Blog: Joelho na barriga: Como posicionar?

joelhoO jiu-jitsu é uma arte rica em técnicas e, principalmente, em detalhes. São eles que fazem a diferença na hora do treino ou de uma luta na competição. Garantir os pontos, estabilizar as posições podem fazer uma grande diferença no final. No blog de hoje, vamos abordar o joelho na barriga – uma das imobilizações mais comuns na hora de ganhar os 2 pontos no placar.

Quando bem posicionado, a pressão sobre a barriga do oponente o faz perder o gás e, consequentemente, leva a quem está por cima a ganhar os pontos. Mas será que você vem se posicionando de maneira correta nesta situação?

Durante os treinos é comum vermos um colega tentar entrar com joelho e não conseguir. Isso pode estar ligado ao lugar que ele o posiciona. O correto é colocá-lo no centro da barriga, pressionando, fazendo o domínio do joelho e da gola do oponente e mantendo o corpo posturado (coluna ereta). Desta maneira aumenta-se a pressão e diminui a mobilidade de quem está embaixo. Mas e a galera que atravessa o joelho por cima, está errado?

Claro que não. A diferença do joelho diretamente colocado sobre a barriga, para o atravessado está na pressão e objetivo de quem está por cima. Atravessá-lo, colocando a ponta do joelho no chão e mantendo a parte da frente do tornozelo em total contato com o corpo do oponente, ajuda a conquistar a montada (4 pontos) com mais facilidade.

Dúvidas sanadas? Agora vista seu kimono e corrija os detalhes. Afinal, refinar a técnica é aperfeiçoar seus conhecimentos, melhorar nos treinos e chegar mais perto da vitória.

BONS TREINOS!